Blog

A credibilidade do impresso pauta o país

24/10/2017   publicado por: Sobral Gráfica

A credibilidade do impresso pauta o país

 

Comecei a ler jornais e revistas muito cedo e até hoje me informo diariamente pela mídia impressa. Leio quatro jornais por dia e devoro, semanalmente, títulos e marcas de revista. E sempre com o prazer de ler no papel ou de me informar o dia todo pelo celular ou pelo computador. Confio nas marcas de jornais e revistas que leio. Sei que, por trás daquela matéria sobre um fato, existe um grande investimento de milhares de profissionais sérios, que trabalham pela apuração isenta da verdade. Eu me identifico com a opinião de articulistas e colunistas de que gosto, e embora não os conheça pessoalmente, eles fazem parte da minha vida.

Muitas vezes, replico essas matérias e colunas no Facebook e no WhatsApp, provocando um bom debate com meus amigos sobre os temas e os fatos que estão mudando a nossa vida. Aliás, replico porque sei que a fonte da matéria e a assinatura do artigo têm credibilidade, porque a opinião pode, e até deve, divergir numa sociedade democrática, mas sempre a partir da premissa da verdade. Entretanto, temos que redobrar o cuidado com as “Face News” que são colocadas diariamente nas redes sociais e acabam tornando muitas mentiras, boatos, rumores em versões factuais, que prejudicam nossa democracia e nossa vida em comum.

A mídia impressa pauta o país, pois, porque a sociedade se reconhece nessa narrativa equilibrada, isenta, bem apurada e se identifica, ou não, com a opinião do editor. A mídia impressa pauta as notícias que ouvimos nas emissoras de rádio, que vemos nos noticiários de televisão. A mídia impressa, traz mais profundidade, apura melhor os diversos ângulos da história e nos permite formar uma opinião mais embasada.

Nós, da indústria publicitária, temos sempre que prestigiar esses veículos de mídia, até porque, ao criarmos campanhas, associamos a credibilidade das marcas desses veículos às marcas de nossos clientes e ficamos mais próximos e conectados aos consumidores, pois, ao ler uma revista ou um jornal, esse cidadão está absolutamente concentrado e focado.

Aqui, nas agências do Grupo TBWA, temos muitos cases de marcas que souberam utilizar criativamente a mídia impressa para posicionar seus produtos e serviços na mente e no coração dos consumidores, conquistando a sua preferência e escolha. Porque a boa propaganda não obriga ninguém a comprar e respeita sempre, e muito, a liberdade de escolha dos consumidores. E essa liberdade de expressão comercial, com os recursos trazidos pela propaganda ética e criativa, que constrói e posiciona marcas de sucesso, é que embasa e alicerça a liberdade de imprensa. Ela permite que os veículos possam investir na qualidade de seu conteúdo de forma independente, e todos nós ganhamos com uma sociedade mais bem informada, mais madura e consciente, especialmente num momento institucional tão crítico como o que vivemos.

Sabemos que, quanto mais bem informado, melhor você decide. O fato vira notícia nas páginas dos jornais e revistas. Assim, a sociedade brasileira continuará construindo sua história e sua narrativa de forma bem apurada e bem contada pelos bons jornalistas e pelos veículos de mídia impressa que lemos, de que gostamos, em quem confiamos e que são importantes na nossa vida e fundamentais para o
desenvolvimento da liberdade e da democracia no Brasil.